Jesus expulsa os cambistas do templo - parte II


Jesus expulsa os cambistas do templo - parte II

Neste momento, Jesus toma uma atitude que surpreende a todos. Com um chicote expulsa os comerciantes, bem como as ovelhas e os bois, derrama também pelo chão o dinheiro dos cambistas, vira as mesas, e diz aos que vendiam as pombas:

_ Tirem daqui todas estas coisas;
Perceba que aos que vendiam as pombas, Jesus não derrubou seus materiais, porque provavelmente, as pombas eram guardadas em gaiolas e se as derrubassem, poderiam fugir e levar prejuízos aos mercadores. Ele queria apenas que tirassem as gaiolas com as pombas.

_ Não façam da casa de Meu Pai uma casa de negócios.

O que é uma casa de negócio? Uma casa de negócio é onde você compra e vende, certo? Uma casa de negócio é onde você obtém aquilo pelo qual você trabalhou. Uma casa de negócio é onde você obtém o que você merece, e você merece o que você obteve!

Nosso Coach nos ensina aqui que uma casa de negócios é um lugar impróprio para uma igreja, pois uma igreja deve ser uma loja de dádivas, de doações, de gratuidade. Não o tipo de lugar onde você compra dádivas, mas onde você recebe dádivas. Ele não queria que Sua igreja fosse uma casa de negócios. Ele não se importava em agradar aos poderosos. Sua missão de vida estava acima de qualquer interesse político. Quem dera tivéssemos políticos que não vendessem seus ideais por conta de barganhas políticas. Que tivessem Jesus Cristo como um modelo a ser seguido.

Isso me lembrou de uma interessante oração feita em Kansas na sessão de abertura do Senado deles. Parece que oração ainda chateia algumas pessoas. Quando pediram para o ministro Joe Wright abrir a nova sessão do Senado de Kansas, todos estavam esperando o tradicional discurso, mas isso foi o que eles ouviram: Pai celeste, nós estamos diante de Ti hoje para pedir Teu perdão e para buscar Tua direção e liderança. Nós sabemos que Tua palavra diz, 'Cuidado com aqueles que chamam o mal de bem,' mas isto é exatamente o que temos feito. Nós perdemos nosso equilíbrio espiritual e revertemos nossos valores. 

Nós exploramos os pobres e chamamos isso de loteria. Nós recompensamos preguiça e chamamos isso de bem-estar. Nós cometemos aborto e chamamos isso de escolha. Nós matamos os que são a favor do aborto e chamamos de justificável. Nós negligenciamos a disciplina de nossos filhos e chamamos isso de construção de auto-estima. Nós abusamos do poder e chamamos isso de política. Nós invejamos as coisas dos outros e chamamos isso de ambição. Nós poluímos o ar com coisas profanas e pornografia e chamamos isso de liberdade de expressão. Nós ridicularizamos os valores dos nossos antepassados e chamamos isso de iluminismo. Sonda-nos, oh, Deus, e conhece os nossos corações hoje; nos limpa de todo pecado e nos liberta. Amém!'

A resposta foi imediata. Um número de legisladores saíram durante a oração em forma de protesto. Em contra partida, sua oração tornou-se conhecida e copiada no mundo inteiro.

A cantora e ativista Rita Lee teve uma daquelas ideias brilhantes, dignas do seu gênio criativo. Reclamando da inutilidade de programas como o Big Brother, ela deu a seguinte sugestão: - "Colocar todos os pré-candidatos à presidência da República trancados em uma casa, debatendo e discutindo seus respectivos programas de governo. Sem marqueteiros, sem assessores, sem máscaras e sem discursos ensaiados. Toda semana o público vota e elimina um. No final do programa, o vencedor ganharia o cargo público máximo do país. Além de acabar com o enfadonho e repetitivo horário político, a população conheceria o verdadeiro caráter dos candidatos. Assim, quem financiaria essa casa seria o repasse de parte do valor dos telefonemas que a casa receberia e ninguém mais precisará corromper empreiteiras ou empresas de lixo sob a alegação de cobrir o 'fundo de campanha'." A ideia não é incrivelmente boa? É fantástica. Casa dos Políticos...

Atualmente, a igreja contemporânea também tem sido um lugar frequentado por pessoas de diversos níveis sociais, e estas pessoas estão sempre em busca de respostas para a solução de seus problemas e indagações. Além disso, como se não bastasse, existe uma disputa acirrada pelo poder, a exemplo dos fariseus e saduceus que eram partidos políticos rivais. Muitos líderes cristãos da atualidade disputam cargos políticos, títulos e honrarias religiosas, buscando assim, seus interesses escusos, usando da Palavra de Deus para adquirirem “lucros e status” e, no intuito de arrebanhar um número cada vez maior de membros, buscam fórmulas místicas para incentivar os frequentadores da igreja a ofertarem grandes quantidades de dinheiro e, desta forma, prendê-los a uma doutrina de individualismo e ritualismo.

Eu até já me confundi... Estou falando de um acontecimento nos tempos de Jesus ou de nosso tempo? Parece que nem tudo muda com o tempo...

É por isso que Jesus, exatamente no primeiro dia de Seu ministério público, fez algo tão chocante antes que o dia terminasse, para mostrar a todos os poderosos que ele não teria medo de se posicionar ao lado da verdade. Jesus logo se tornaria uma pessoa pública e precisava posicionar-se publicamente.

Então, vêm os discípulos. Jesus os deixou realmente chocados. Não pense que Jesus era pálido e franzino como os artistas frequentemente O pintam. Qualquer pessoa que tenha trabalhado em carpintaria sem ferramentas elétricas, cortando e esquadrejando madeira e fazendo tudo o mais a mão, nunca se parece com a frágil pessoa pela qual Ele é retratado em muitos desenhos. Como um homem sábio e organizado, sabia alimentar-se adequadamente, e pela jornada que tinha pela frente, precisaria estar bem preparado fisicamente.
Quando o barulho e a confusão deram lugar a um silêncio total e à medida que seus olhos se moveram sobre a multidão embevecida pelo dinheiro, os discípulos ficaram surpresos, tamanha a coragem de seu mestre.

Outro grupo no templo a eram as vítimas dos sacerdotes e daqueles que serviam a Deus em benefício próprio. A purificação do templo foi para acabar com a desigualdade estabelecida naquele lugar que deveria ser santo.

Para aquelas pessoas, tinha sido vendida uma enorme quantidade de objetos. Eles eram pessoas que haviam desenvolvido a ideia de que você trabalha para fazer o seu caminho para o Céu.

Na multidão havia pessoas pobres que não podiam comprar um cordeiro e acabariam passando a noite acordadas olhando para o teto, questionando se elas jamais conseguiriam entrar no reino eterno. Se a religião fosse uma coisa que o dinheiro pudesse comprar, o rico entraria no céu e o pobre estaria condenado ao inferno eterno.

Mas havia também as pessoas que tinham os recursos. Estes dormiam bem à noite porque tinham segurança. Porém, era uma segurança falsa, baseada naquilo que eles faziam para ganhar o favor de Deus. Eram ricos de bens materiais, mas pobres em espirito.
Como um primoroso Coach, Jesus queria reeducar estas pessoas que não conseguiam enxergar os planos de Deus. Ele queria alcançar aqueles que não tinham qualquer segurança e aqueles que tinham uma falsa segurança.

A história prova que Jesus não odiava os ladrões, não odiava os religiosos, não odiava os cambistas. Jesus não foi lá para pegá-los. Ele os mamava. Mais tarde, Ele iria às festas com eles. Ele assistiria à reunião de coletores de impostos. Ele ficaria lado a lado com sacerdotes e administradores (escribas). Jesus apenas queria que acordassem da religiosidade, por terem tanto temor e tanta ignorância.

Os líderes judeus ficaram furiosos com toda aquela algazarra e então lhe perguntaram:

_ Quem você pensa que é? Que milagre você pode fazer para nos provar que tem autoridade para fazer isso?

Jesus respondeu:
_ Derrubem este Templo, e eu o construirei de novo em três dias!

_ Hahaha! A construção deste Templo levou quarenta e seis anos, e você diz que vai construí-lo de novo em três dias? Hahahahaha!

Porém o templo do qual Jesus estava falando era o seu próprio corpo. Mais adiante, ao final de sua curta história terrena, quando Jesus ressuscitar, os seus discípulos lembrarão o que ele disse neste momento e então creram nas Escrituras Sagradas e nas palavras dele.

Jesus tem pleno conhecimento de sua missão de vida e de seus planos. Possui um roteiro bem definido e está focado em cumpri-lo.

Nosso Maior Coach nos convida neste episódio a não nos transformarmos em fonte exploradora de pessoas, a não excluirmos os menos desfavoráveis de nosso convívio por serem diferentes de nós. Ele nos convida a transformar nossos corações em local Sagrado, o local por excelência do encontro verdadeiro com o Deus vivo, centro dos bons sentimentos. Convida-nos e expulsar deste local todo e qualquer sentimento de egoísmo, de inveja, de ganancia. Então vamos lá! Expulse os ladrões de seu coração.

EXERCÍCIOS:
  •  Existe em sua vida algum tipo de crença sabotadora que tem lhe roubado a esperança, seus sonhos? Se existir, crie coragem e expulse estas crenças de sua mente. 
  •  Você tem sido uma pessoa honesta com aqueles a sua volta e consigo mesmo? Tem vendido suas convicções e filosofia de vida por dinheiro, amizades supérfluas ou prazer? Tem valido a pena? 

  • Você tem vergonha ou medo de se posicionar e defender seu cristianismo, suas ideias e convicções?

0 comentários:

Postar um comentário

Jesus expulsa os cambistas do templo - parte I


Jesus expulsa os cambistas do templo - parte I

Após ter participado do casamento, Jesus viajou a Jerusalém para o que seria seu primeiro ato público, a purificação do templo, fato que chamou tremenda atenção daqueles que pouco o conheciam.
Relatado em João 2, esse episódio provê interessantes vislumbres sobre como Jesus se posicionaria diante do sistema. Note que o capítulo começa com o casamento em Caná, seguido pela purificação do templo, e então a entrevista com Nicodemos em João 3. A sequencia é muito interessante.

“Depois disto [isto é, após o casamento em Caná] desceu Ele para Cafarnaum, com Sua mãe, Seus irmãos e Seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias. Estando próxima a páscoa dos Judeus, subiu para Jerusalém para a Pessach (a Páscoa judaica).” João 2:12 e 13.
No caminho para Jerusalém, Jesus viajou com uma grande multidão de pessoas. Porém, Ele era tão pouco conhecido nesse período, que podia misturar-Se com as pessoas, indo a Jerusalém simplesmente como qualquer um. Pouco tempo depois, isso seria impossível. 

Porém, agora você vê a Jesus indo de Cafarnaum a Jerusalém para a Páscoa simplesmente como um peregrino, conversando com as pessoas que estavam falando sobre o tal Messias que viria.
A Páscoa dos judeus, já não era mais a Páscoa do Senhor (Êxodo 12:27). Havia sido reduzida a uma festa religiosa judia, apenas um ritual para celebrar.
A celebração da Páscoa era feita anualmente no templo em Jerusalém. Todos os homens precisavam ir a Jerusalém três vezes por ano, para celebrar esta festa, a festa de Pentecostes, e a festa dos Tabernáculos. A Páscoa coincidia proximadamente com nosso 14 de abril  e durava uma semana: a Páscoa no primeiro dia e a festa dos Pães Asmos durante o resto da semana. A semana inteira comemorava o livramento dos judeus da escravidão no Egito (Êxodo 12:1-13).

Muitas famílias judias viajavam do mundo inteiro para Jerusalém durante estas festas fundamentais, assim a área do templo sempre ficava abarrotada durante a Páscoa com milhares de celebrantes forasteiros.
Todo israelita de vinte anos para cima devia pagar na tesouraria do templo meio siclo anualmente como oferta ao Senhor (Êxodo 30:13-15), e isto com a exata moeda de meio siclo hebraico.  Era exigido também das pessoas que oferecessem animais como sacrifício pelos pecados. Por causa da longa viagem, muitos não podiam trazer seus próprios animais. Além disso, tal viagem não faria bem aos animais que seriam rejeitados por causa de imperfeições decorrentes da viagem.

Os líderes religiosos permitiam que cambistas e comerciantes montassem bancas no pátio dos gentios, para a conveniência dos que compareciam, mediante uma taxa para ajudar na manutenção de templo. Os comerciantes e os cambistas faziam um negócio lucrativo no pátio do templo, à custa dos que usavam seus serviços. O templo de Deus estava sendo usado mal, pois predominavam a perseguição do ganho material e as práticas cobiçosas. A Casa do Senhor, que deveria ser casa de sacrifício (2 Crônicas 7:12) e casa de oração (Isaías 56:7) tinha se tornado em casa de negócio, uma feira.

O mundo do primeiro século não era tão diferente do atual: havia homens ricos e pobres, virtuosos e criminosos, livres e escravos. O templo em Jerusalém constituía-se em um lugar de peregrinação para todos aqueles que confessavam o judaísmo como sua religião. Era um lugar visitado por pessoas e comunidades de todas as nações. O templo (que já era o segundo) possuía quatro pátios. O primeiro era o pátio dos gentios (e chamava-sehieron), o qual era ocupado pelos mercadores que realizavam trocas (câmbio) de dinheiro e vendiam os animais.
Os frequentadores do templo juntamente com seus líderes religiosos haviam transformado o templo em "casa de comércio" e em "casa de privilégios” em uma religião de fachada. Historiadores afirmam que os movimentos comerciais relacionados ao templo eram monopolizados pelas famílias dos próprios sacerdotes.


Ao chegar ao Templo e se deparar com a quantidade de vendedores que ali comercializavam mercadorias o Mestre decepcionou-se com o que viu: o Templo fora transformado num antro de exploradores inescrupulosos, que se serviam do espaço sagrado para enriquecer, lançando mão dos mais vis artifícios de exploração. Na mais total impunidade, e com a cobertura dos sacerdotes, davam a impressão de estar prestando um grande serviço aos peregrinos. Situação, porém, insuportável para Jesus!

0 comentários:

Postar um comentário

Porque o Brasileiro tem a péssima mania de denegrir seu próprio país?


Porque o Brasileiro tem a péssima mania de denegrir seu próprio país?

Veja o que escreveu uma escritora holandesa, falando sobre o Brasil.

Os brasileiros creem que o mundo todo presta, menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Esquecem que em qualquer lugar lugar do mundo, há pontos positivos e negativos, mas para fora do Brasil, os brasileiros maximizam os positivos, enquanto no Brasil se elevam ao máximo os negativos.
Aqui na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado. Só existe uma companhia telefônica e pasmem: Se você ligar reclamando do serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado.

Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de envolver o sanduíche em um guardanapo - ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja oferecem o pão ou a carne. Isso é primeiro mundo?

Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas enroladas em folhas de jornal - e tem fila na porta.

Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Fumam até em elevador.

Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e qualquer garçom de botequim no Brasil podia ir pra lá dar aulas de ‘Como conquistar o Cliente’.

Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura. Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos...

Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a língua portuguesa, é chamada de língua portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de português brasileiro, porque não conseguem se comunicar com os seus usuários brasileiros através da língua Portuguesa. Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc… Os brasileiros mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar suas raízes culturais.

Os dados são da Antropos Consulting:

1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial.
2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma.
3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária.
4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo.
5. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina.
6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma.
7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando.
8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês.
9. Telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas..
10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO-9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México, são apenas 300 empresas e 265 na Argentina.
11. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos.

Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil?
1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano?
2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta?
3. Que suas AGÊNCIAS DE PUBLICIDADE ganham os melhores e maiores prêmios mundiais? 
4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários?
5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo?
6. Que apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados?
7. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem? Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando.

É! O Brasil é um país abençoado de fato. Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos.
Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques. Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente. Bendita seja, querida pátria chamada BRASIL!

Podemos perceber que: há “uma cultura” de murmuração em nosso país. Há uma tendência do brasileiro usar a sua língua de forma errada, e quando agimos assim, deixamos de abençoar a nossa pátria, nossa própria vida e a vida dos outros.

Disseram-lhes os israelitas: "Quem dera a mão do Senhor nos tivesse matado no Egito! Lá nos sentávamos ao redor das panelas de carne e comíamos pão à vontade, mas vocês nos trouxeram a este deserto para fazer morrer de fome toda esta multidão!"
Êxodo 16:3

Mas o povo estava sedento e reclamou a Moisés: "Por que você nos tirou do Egito? Foi para matar de sede a nós, aos nossos filhos e aos nossos rebanhos?"

Êxodo 17:3

2 comentários:

Postar um comentário