A armadilha dos fariseus e a resposta antológica de Jesus!


(trecho extraído do livro Jesus Meu Coach)

O Perdão para a mulher adultera
Os líderes religiosos Judeus não aguentavam mais ouvir falar sobre a influência que Jesus estava exercendo sobre as pessoas da época.

E para encurtar o trabalho de Jesus, gastavam horas tentando de alguma forma dar um jeito de calá-lo para sempre.


O jeito era apelar mais uma vez para as leis judaicas e usá-las contra ele.
E assim nasceu a ideia usar o ato do adultério para expor Jesus diante das autoridades judaicas e romanas.
A ideia era geniosamente fantástica, mas não tão fácil de executar.
Para pegar alguém no ato de adultério e condená-lo em um julgamento Judeu as testemunhas realmente tinham que ter visto o casal indo através de movimentos físicos que poderia ser capaz de nenhuma outra explicação.
Circunstâncias comprometedoras, como ver um casal vindo de um quarto onde eles estavam sozinhos, ou até mesmo vê-los deitados na mesma cama, não eram suficientes.
As testemunhas tinham que ter visto os mesmos atos, ao mesmo tempo, na presença um do outro para seu testemunho ter validade em um tribunal judaico.
Portanto, é muito provável que os escribas e fariseus tinham preparado uma armadilha para pegar essa mulher e prender Jesus sobre os chifres de um dilema e acusá-lo.
A engenhosidade desta armadilha era de dar inveja a qualquer inimigo do Batman.
Ou Ele concorda que a mulher deva ser apedrejada, comprometendo assim sua reputação como o Salvador dos pecadores e provavelmente ficará em apuros com as autoridades romanas, que não dão aos judeus o direito da pena capital; Ou, ele irá mostrar sua misericórdia, provando assim que Ele não defende a Lei de Moisés e é tolerante com o pecado.
Tudo foi minuciosamente planejado.
Provavelmente, até o homem que estaria com a jovem participava da farsa.
Isso é comprovada pelo fato de que eles só levariam a garota pecadora para Jesus.
Ninguém comete adultério sozinho!
Então, onde estaria o homem na hora do confronto?
Provavelmente ele estava do lado dos fariseus e, assim, lhe seria permitido escapar.
No dia e hora marcado, lá foram os líderes com suas testemunhas e pegaram o casal em pleno ato sexual.
Imediatamente, com uma raiva brutal, aos gritos, levaram a moça, semi nua, arrastando-a pelas ruas estreitas de Jerusalém até Jesus que no momento pregava no templo onde havia sempre multidões de pessoas, muitas das quais teriam conhecido ela.
A mulher gritava “Piedade! Compaixão!”, enquanto era arrastada; suas vestes iam sendo rasgadas e sua pele sangrava esfolando-se na terra.
Todos nós já tivemos a experiência humilhante de ser pego fazendo algo que sabíamos era errado.
Talvez você estava acessando algumas imagens indecentes em seu telefone ou em seu notebook quando um outro conhecido olhou por cima do ombro para dizer Olá.
Ou, talvez, em um dia de verão com as janelas e portas abertas você e seu esposo estavam em discussão calorosa quando a campainha tocou e era alguém da família.
Não importa o pecado é sempre embaraçoso.
Uma série de jogos de computador vêm com uma característica especial chamada a "Tecla Chefe".  
Se você está jogando um jogo quando devia estar trabalhando, e alguém (como o chefe) entra no seu escritório, você rapidamente aperta a Tecla Chefe. 
O monitor do seu computador muda imediatamente, escondendo aquilo que estava fazendo. 
Isso me fez lembrar de uma piada que conta que duas amigas no céu: uma pergunta para a outra: 
_ Como você morreu? 
_ Congelada. 
_ Ai, que horror!!! Deve ter sido horrível. Como é morrer congelada? 
_ No começo é muito ruim: primeiro são os arrepios, depois as dores nos dedos das mãos e dos pés, tudo congelando... Mas, depois veio a sonolência, eu perdi a consciência. E você, como morreu? 
_ Eu? De ataque cardíaco. Eu estava desconfiada que meu marido me traía. Um dia cheguei em casa mais cedo. Corri até ao quarto e ele estava na cama, calmamente assistindo televisão. Desconfiada, corri até o porão, para ver se encontrava alguma mulher escondida, mas não encontrei ninguém. Corri até o segundo andar, mas também não vi ninguém. Subi até o sótão e, ao subir as escadas, esbaforida, tive um ataque cardíaco e caí morta. 
_ Oh, que pena... Se você tivesse procurado no freezer, nós duas estaríamos vivas!


Tentar esconder dos outros quando fazemos algo de errado é natural. 

Podemo-nos sentir culpados, mas o nosso desejo de evitar admitir a nossa responsabilidade é normalmente mais forte do que a nossa culpa.
Jesus é confrontado
Os escribas e fariseus vieram armados com a lei como uma arma para usar contra esta mulher, mas como diz o texto, principalmente para usar contra Jesus.
Jesus que estava lá desde a manhã pregava diante de uma multidão de pessoas.
Sentado, diante de uma audiência atenta, viu chegar uma comitiva barulhenta disposta a atrapalhar seu trabalho.
Ele lhes ensinava que cada ser humano tem um inestimável valor, que a arte da tolerância é a força dos fortes, que a capacidade de perdoar está diretamente relacionada à maturidade das pessoas.
Suas ideias revolucionavam o pensamento humano, por isso começou a ter muitos inimigos. 
Na época, os judeus constituíam um povo fascinante, mas havia um pequeno grupo de radicais que passou a odiar as ideias do Mestre.
Quando trouxeram a mulher adultera até ele, a intenção era apedreja-lo juntamente com ela, usa-la como isca para destruí-lo.
Qualquer um de nós só por essa atitude já teria perdido a paciência, principalmente vinda de pessoas que já sabemos estão a muito tempo nos perseguindo.
Ao chegarem com a mulher diante dele, a multidão ficou perplexa. Sem pedir licença, imediatamente o interromperam.
Com um sarcástico sorriso no rosto e em alta voz lhe perguntaram;
_ Mestre esta mulher foi pega em flagrante adultério. Ora Moisés nos diz em sua lei que devemos apedrejá-la até a morte, mas o senhor o que nos diz?
A bomba relógio havia sido ativada. Era questão de tempo para explodirem a missão de Jesus e obterem a vitória. Não havia como jesus escapar dessa.
Se dissesse “Que seja apedrejada”, ele livraria a sua pele, mas destruiria seu projeto transcendental, seu discurso e principalmente seu amor pelo ser humano. 
Se dissesse “Não a matem!”, ele e a mulher seriam imediatamente apedrejados, pois estariam indo contra a a respeitada lei de Moisés. 
Se os fariseus tivessem feito a mesma pergunta aos discípulos de Jesus, estes provavelmente teriam dito para mata-la. Assim se livrariam do risco de morrer.
Mas qual foi a primeira resposta do Mestre diante desse grave incidente?
Se você pensou: “Quem não tem pecado atire a primeira pedra!” , errou, essa foi a segunda resposta.
A primeira resposta foi o silencio. 
Só o silencio pode conter a sabedoria quando a vida está em risco. 
Nos primeiros 30 segundos de tensão cometemos os maiores erros de nossas vidas, ferimos quem mais amamos, tomamos decisões erradas, agimos sem pensar, usamos nosso sistema límbico ou reptiliano, agimos no piloto automático.
Por isso, o silencio é a oração dos sábios. 
Para o maior Coach de todos os tempos, aquela mulher, ainda que desconhecida, pobre, esfolada, rejeitada publicamente e adultera, era mais importante do que todo o ouro do mundo, tão valiosa como a mais pura das mulheres.
Era uma joia raríssima, que tinha sonhos, expectativas, lágrimas, golpes de ousadia, recuos, enfim, uma historia fascinante, tão importante como a de qualquer mulher. 
Valia a pena correr riscos para resgata-la.
Jesus não respondeu nada imediatamente. 
Fez silencio. Antes de falar resolveu usar sua inteligência, talvez em seu silencio buscou o pai, enquanto escrevia qualquer coisa no chão empoeirado do templo.
Este é o único momento nos Evangelhos em que Jesus não escreveu absolutamente nada, mas a grande questão que eu e todos vocês podem estar querendo saber é o que ele escreveu?
Ninguém sabe!
Alguns dizem que ele estava escrevendo os pecados dos fariseus na poeira, como as pessoas hoje escrevem nos para brisas empoeirados dos carros, "Lava-me por favor".
Outros dizem que Ele estava escrevendo os Dez Mandamentos, que Deus escreveu com o dedo nas tábuas de pedra.
Outros ainda sugerem que Ele estava envergonhando seus inimigos por ignorá-los, mostrando que eles eram indignos de serem ouvidos.
O silencio inquietante de Jesus deixou os acusadores perplexos, levando-os a diminuir a temperatura da raiva, da tensão, oxigenando a racionalidade deles. 
Num segundo momento, eles voltaram a perguntar o veredicto do Mestre, pois estavam ansiosos pela resposta que acionaria a bomba e lhes daria a vitória. 
Então, finalmente, ele se levantou:
Fitou os fariseus nos olhos, como se dissesse: “Matem a mulher! Todavia, antes de apedreja-la, mudem a base do julgamento, tenham a coragem de ser transparentes em enxergar as suas falhas, erros e contradições”. 
Esse era o sentido de suas palavras.
_ Aquele que estiver sem pecado entre vós, ele será o primeiro a atirar uma pedra contra ela.
Os fariseus não acreditaram no que estavam ouvindo.

Não estavam preparado para esta resposta.

Receberam um choque de lucidez com as palavras de Jesus.
Jesus não estava dizendo que os juízes humanos em um tribunal de justiça tem que ser perfeitamente sem pecado antes que eles possam julgar os outros, porque, então, nenhuma lei jamais poderia ser usada.
Em vez disso, Jesus estava aplicando o que Ele ensinou em Mateus 7: 1-5 quando ensinou:
"Não julgueis para que não sejais julgados. 
Porque na forma que julgarem, vocês serão julgados; e pelo seu padrão de medida, ela será usada para medir vocês. 
Por que você repara no cisco que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho? 
Ou como você pode dizer ao seu irmão: 'Deixe-me tirar o cisco do seu olho', e eis que o log está em seu próprio olho? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão".
Em outras palavras, esses hipócritas tinham uma enorme viga em seus próprios olhos: 
Eles foram mais pecadores que adultera usando essa mulher e usando as Escrituras para tentar prender Jesus.
Eles vieram para condena-la e acusar Jesus; mas eles acabaram sendo acusados ​​e condenados.
A Lei é como um bumerangue: Se você apontar para os outros e ele volta e "boing" na sua cabeça.
A ilustração a seguir pode ajudar a entender a lei da semeadura prima da lei de Deus. 

Numa livraria, o cliente pede ao balconista: 
_ Por favor, queria comprar aquele livro... O "Como Ficar Milionário da Noite Para o Dia", você tem? 
_ Claro, só um minutinho que eu vou buscá-lo. - responde o vendedor. Ele volta com dois livros e começa a embrulhá-los para o cliente: 
_ Moço, é... Desculpe, mas eu só pedi um livro! - argumenta o cliente. 
_ Eu sei, o outro é o código penal. Vendemos sempre os dois juntos.

A lei sem a graça de Deus sempre será implacável.
Mas a resposta de jesus foi antológica. Quanta sabedoria de nosso Coach maior e que exemplo para todos nós?
Sempre que estivermos diante de uma situação complicada que nos exige uma resposta, antes de abrir sua boca, respire por uns instantes, ou abaixe sua cabeça, feche seus olhos, conte até três, escreva no chão, ore, peça a Deus uma resposta sábia ou faça qualquer coisa, menos responder imediatamente.
Mas, ao invés de cair aos pés de Jesus e pedindo misericórdia, todos os acusadores envergonhados e admirados com tanta sabedoria, saíram, jogando suas pedras no chão.
Talvez o mais velho saiu em primeiro lugar porque ele tivera o maior número de pecados e se sentiu culpado.
Mas nenhum deles se arrependeu, porque, como um grupo eles continuaram a desejar a morte de Jesus.

Mas, talvez você esteja se perguntando, "Por que Jesus não aplicou a Lei a esta mulher culpada?"
A Lei pode revelar o seu pecado (Rom. 3:20), mas ela não pode oferecer graça e perdão.
Mas Jesus veio para revelar tanto a verdade como a graça (João 1:14, 17).
Ao longo dos Evangelhos, Jesus confrontou os hipócritas com seus próprios pecados, mas Ele mostrou misericórdia para com aqueles que foram condenados por seus pecados e se arrependeram.
Certa vez ouvi dizer que um pastor estava pregando sobre a expansão do pecado, e disse enfaticamente: "Ele está em todo lugar!". 
Ele contou que enquanto esperava o sinal mudar, viu o homem do carro à sua frente terminar sua garrafa de Coca-Cola, abrir a porta, colocar a garrafa de vidro na rua e ir embora. 
O pastor disse: "Isso estava errado! Foi um pecado egoísta! Ele poderia ter causado um acidente ou permitido que o pneu de alguém furasse". 
Normalmente não caraterizamos o "jogar lixo na rua" como pecado, mas é uma evidência clara do egoísmo inerente à nossa natureza. 
Mais tarde, quando o pastor estava cumprimentando as pessoas na porta, um professor de teologia de uma universidade cristã local disse calmamente, enquanto passava pelo pastor: "O pecado joga a garrafa na rua, mas a graça o pega". 
Agora, muitos anos mais tarde, o pastor não esqueceu a lição daquele princípio bíblico. Ele vem exatamente de Romanos 5, um dos textos mais nobres da Bíblia, que descreve a graça de Deus. 
A transgressão de Adão trouxe o pecado ao mundo (Romanos 5:12) e suas consequências atingiram a todas as pessoas. 
Mas Deus respondeu com graça, oferecendo perdão através de seu filho a todos que escolhem crer nele. A raça humana pecou e Deus respondeu com graça abundante (Romanos 5:20). 
Deus faz infinitamente mais do que "pegar a garrafa", ele purifica o coração do transgressor!
A Lei exclui. 
A Graça inclui. 
Lei é Caim. 
Graça é Abel. 
Lei é o dilúvio. 
Graça é a arca. 
Lei é amar quem nos ama. 
Graça é amar quem nos odeia. 
Lei é beco. 
Graça é avenida. 
Lei é certeza. 
Graça é pergunta. 
Lei é doença. 
Graça é saúde. 
Lei é passado. 
Graça é futuro. 
Lei é solidão. 
Graça é amizade.
Nesta história não há nenhuma declaração direta de que a mulher estava arrependida, mas eu acho que nós podemos entender que pelas amáveis ​​palavras de Jesus a ela, que ele sabia o que estava no coração dela e como sempre, Jesus sempre foi rápido para oferecer graça aos quebrados.
Ele pode ser tanto gracioso para os pecadores e ainda assim manter a sua justiça, porque Jesus veio a este mundo para oferecer a Si mesmo como o sacrifício perfeito e final pelo pecado que a justiça de Deus exige.
A única pessoa sem pecado no templo naquele dia que legitimamente poderia ter jogado uma pedra na adúltera mostrou-lhe misericórdia.
E se você está sentindo-se pesado com a sua carga de pecado e culpa, venha a Jesus e clame por misericórdia e Ele não vai te condenar.
Como o publicano da parábola de Jesus (Lucas 18:14), você vai ir para sua casa justificado, declarado justo diante de Deus!
O grande desfecho
Depois que seus acusadores saíram envergonhados, sobrou apenas Jesus e a mulher.
Ela sem acreditar no que via, levantou a cabeça para ouvir de Jesus algo que lhe deixaria ainda mais surpresa;
_ Mulher onde estão os teus acusadores?
O que ele quis dizer com essa pergunta e por que a fez? 

Bom, em primeiro lugar, ele chamou a adultera de “mulher”, deu-lhe o status mais nobre, o de um ser humano. 
Ele não perguntou com quantos homens ela dormira. 
Para o o maior dos Coaches, a pessoa que erra é mais importante do que seus próprios erros. 
Aquela mulher não era uma pecadora, mas um ser humano maravilhoso.
_ Foram todos embora Senhor.
_ Ninguém te condenou?
_ Ninguém meu Senhor!
_ Eu também não te condeno.
Talvez Jesus fosse a única pessoa que tivesse condições de julgá-la, mas não o fez. 
O homem mais correto da história da humanidade não a julgou, mas a compreendeu, não a excluiu, mas a abraçou.
Sua última frase indica o apogeu da sua humanidade, o patamar mais sublime da solidariedade.
_ De agora em diante não peques mais. Vá e refaça seus caminhos. Escreva uma nova história.
Essa atitude abala os alicerces da psiquiatria, da psicologia e da filosofia. Jesus tinha todos os motivos para dizer: “De hoje em diante, sua vida me pertence, você deve ser minha discípula”. 
Os políticos, líderes religiosos e autoridades usam seu poder para que as pessoas os aplaudam e tornem-se seus seguidores. 
Mas Jesus, apesar do seu descomunal poder sobre a mulher, foi desprendido de qualquer interesse. 

“Vá e revise a sua historia, cuide-se. Mulher, você não me deve nada. Você é livre!”
Ainda nessa resposta temos mais um tesouro a descobrir. 

Jesus não disse "Vá e não peques mais e então eu não te condeno”.
Pelo contrário, seu perdão não era dependente de seu comportamento. 
Em vez disso, seu perdão foi a motivação para mudar seu comportamento.
Se o perdão depende de ter um histórico perfeito, ninguém poderia obtê-lo, porque todos nós pecamos. 
Assim, Deus concede o perdão como um dom gratuito a todos os que põem a sua confiança em que Cristo fez ao morrer na cruz por seus pecados.
Sua graça livre torna-se o motivo para vivermos em santidade, para agradarmos a pessoa que entregou a Si mesmo por nós. 
A maravilhosa graça de Deus é a motivação para uma vida santa.
Jesus a despediu, mas ela não foi embora. 
E por que? Porque o amou. 
E, por ama-lo, o seguiu livremente para sempre, inclusive até os pés da cruz, quando ele agonizava.

Alguns estudiosos até acham que ela foi Maria Madalena.
A base fundamental da liberdade é a capacidade de escolha, e a capacidade de escolha só é plena quando temos liberdade de escolher o que amamos.
EXERCÍCIO:

  • Você tem colecionado respostas ansiosas que mais tarde lhe trazem arrependimento?
  • Concorda que a partir de agora deverá pensar mais antes de responder em momentos de tensão?
  • Você tem confessado diariamente seus pecados?

Um comentário:

  1. Texto maravilhoso!!! Que o Senhor continue te usando nesse propósito, pois é edificador e transformador.

    Vitor Nogueira

    ResponderExcluir